A origem do surf é atribuída aos polinésios. Surfar era uma parte crucial da cultura, onde o chefe de uma comunidade era sempre o mais habilidoso nas ondas.

Surf significa acompanhar o rebentar das ondas.

Apesar de uma atividade aprazível sempre tem o risco de se tomar um “caldo”, quando o surfista caia da prancha. Para quem já se aventurou sabe que a sensação é horrível, pois você não tem a exata noção de qual direção seguir.

Neste caso as vezes chegar ao fundo pode ser a melhor opção já que o ar está na direção oposta.

Acredito que o COVID-19 antecipou o Novo Normal talvez em 5 ou 10 anos, e como mencionei em outro artigo, o Ser Humano terá que ser Triplo “A”, ou seja, Adaptável, “Alinhado” a nova realidade e Ágil a fim de se reinventar, criando novos negócios e gerando oportunidades.

Porém quando tratamos de vidas humanas, chegar ao fundo jamais deveria ser a melhor decisão, e é isso que infelizmente algumas autoridades Estaduais e Municipais fizeram, sufocando as pessoas em suas casas como numa correnteza sem fim, deixando-as incapazes de encontrar a “saída”.

Sei que somos capazes de encontrar o equilíbrio entre Saúde e Economia afim de pegar a onda que nos levará até o raso.

É verdade que muitos querem ficar colados na prancha, e com razão, outros já  tomaram um “caldo” e ainda não se encontraram, mas são fortes e voltarão a remar, porém o que na minha opinião não faz nenhum sentido é deixarmos de buscar o único lugar seguro, a praia, pois ficar “eternamente” no mar, não é uma opção.

Skip to content